14 agosto 2015

Livro da semana:Dom Casmurro de Machado de Assís

Olá!
Hoje é sexta feira,dia do livro da semana.O sortudo de hoje é o classico do romantismo realista Brasileiro, Dom Casmurro, do nosso Machado de Assís. Aviso prévio que para quem não gosta muito da antiga escrita dos anos 80, é preciso ter paciência para lê-lo. Com base nas características do realismo, a mulher no caso nossa amável Capitu, é bem descrita e mostrada do seu real jeito. Sem idealizações e nem "colocar a mulher em um pedestal inalcançável" como antes. A história se passa no meio narrado pelo protagonista principal: Bentinho Santiago, apelidado de Dom Casmurro por um rapaz que o conheceu em uma estação de trem. Dona Glória, mãe de Bentinho, perdeu o marido quando o filho ainda era muito pequeno, seu primeiro filho não firmou, então para que o segundo vinga-se fez uma promessa de colocá-lo no seminário para vim a virar padre. Aos 14 anos o garoto era muito amigo da sua vizinha, a Capitu, e apaixona-se por ela. Porém a mãe decide mesmo assim colocar o garoto no seminário. Lá Bentinho faz amizade com Ezequiel Escobar, ambos não  queriam ser padre, Bentinho queria casar-se com Capitu e Escobar desejava o comércio e nadar pelo mar como adorava fazer. Aos 17 anos Bentinho sai do seminário junto com  Escobar e em seu lugar para pagar a promessa vai um escravo virar padre. Bentinho sai do Rio de Janeiro para estudar Direito em São Paulo e depois de 5 anos retorna formado, casa com sua amada enquanto Escobar estava casado com Sancha, melhor amiga de infância de Capitu e com uma filha na qual deram o nome de Capitolina em homenagem a Capitu,assim como quando Bentinho finalmente tem um filho,o batiza de Ezequiel, homenageando seu amigo. De forma inesperada Escobar vem a falecer afogado enquanto nadava um pouco mais longe que o de costume e a partir dai Bentinho começa a ver seu filho parecer com seu amigo falecido e desconfiado da sua mulher tê-lo traido, coloca veneno em seu café e na hora de beber Ezequiel entra no escritório, Bentinho resolve então matar seu filho, porém no ultimo instante desiste. Capitu ouve a cena e ambos discutem e assim sucessivamente até que se separam. Para encobrir o fato vão para Europa, Capitu morre no exterior, Bentinho volta para o Brasil e Ezequiel tenta se aproximar do pai porém é rejeitado novamente e falece de tireóide.
•Comentários
O livro é menos presado pelo próprio autor no final que deixa a desejar, apesar de gostar do suspense de não mostrar se Capitu realmente o traiu ou ele era muito ciumento. Um dos poucos livros da literatura clássica Brasileira que eu gostei!
Classificaçao:♫ ♫ ♫ (3 notas)


Um comentário

  1. Preciso separar um tempinho para ler os clássicos... Quanto tempo você levou para terminar esse? É difícil de encontrar? Agradeço desde já.

    ResponderExcluir