28 fevereiro 2016

Domingo do livro: Melhores falas de Fala Sério, Pai!

Olasssssss
O domingo do livro vai voltar a ativa novamente pra quem gosta dos meus comentários malucos sobre os livros que leio, nada melhor do que retornar falando de mais um livro da rainha Thalita Rebouças. Fala sério pai, assim como toda a saga, mostra a relação da Malu, nesse caso, com o seu pai Armando. Ao envés de fazer mais uma resenha, juntei algumas frases e conselhos do livro que me fizeram refletir, rir e agora vou compartilhar com vocês.


"Filhinha, escuta o papai. Esse negócio de amor não tá com nada. Amor é sofrimento, é cobrança, é ciúme. E amor acaba mal, sempre. Quantas tragedias não me deixam mentir. Melhor nem começar, vai por mim." Pagina 83

"Da porta, observando a cena sem conseguir tirar o sorriso do rosto, a única coisa que consegui fazer foi voar para cima dela, agarrá-la e enchê-la de beijos. E abraços." Pagina 45

"E me deu um abraço tão apertado que me fez chorar. De culpa, remorso, emoção. De amor. Amor de pai. Aquele amor imenso e incondicional que não dá para explicar direito." Pagina 147

"Pode parecer ridículo, mas aquilo mexeu comigo. Não a menstruação em si. Mas o rito de passagem que ela representa na vida de uma garota. Claro que eu sabia que a Malu não tinha se tornado, de uma hora para outra, uma mulher, como ela encheu a boca para dizer. Mas estava no caminho. E por mais satisfeito que eu estivesse com sua alegria infantil, sabia que aquele era o começo do fim da nossa relação pai e filha..." Pagina 149

"Se você é meu amigo, devia me conhecer como a palma da sua mão e saber que está me incomodando, puxando um assunto nada a ver atrás do outro. Confiança a gente não impõe, a gente conquista. Eu confio em você, pai, mas tem assuntos que eu não ne sinto à vontade para falar nem com você nem com a mamãe. E eu aposto que você também era assim quando tinha a minha idade. Era ou não era?" Pagina 184

"Depois que você faz 18 anos, confesso, você se acha! Você se sente a última bolacha do pacote, a última garrafa d'água do deserto. Sabe a mulher maravilha? É você e ponto final. É assim. Simplesmente assim. Não tem como discutir, só vivendo para saber." Pagina 224

"Ele então acenou e bateu a porta com os olhos marejados. Eu fiquei ali, em pé no meu novo apartamento, feliz com o meu passado, orgulhosa do meu presente e sonhando de olhos abertos com o meu futuro. Futuro que seria, claro, sempre compartilhado com ele: o cara mais bacana, mais íntegro, mais bem-humorado, mais gente boa que eu conhecia. Teimoso, dramático e mimado às vezes. Mas quem não é? Ele era humado, afinal de contas. Um super-humano. Mais que isso: um superpai. O meu superpai." Pagina 254

Como não amar a escrita da Tata? Mais um amorzinho na minha estante recém-lido. 
Um beijo, Pih.

Nenhum comentário

Postar um comentário